YIN/YANG VERSUS ENERGIAS POSITIVAS E NEGATIVAS

Escrevi um artigo a criticar o discurso supérfluo da acupunctura vegetal. Uma das coisas que critiquei foi a linguagem usada, em particular a tradução de Yin Qi como energia negativa e Yang Qi como energia positiva. Infelizmente parece que este tipo de traduções é dominante nos círculos brasileiros. Encontrei um texto, ainda mais ridículo, sobre acupunctura e religião (e sobre o qual irei dedicar umas linhas em artigo próprio) que também usa esta terminologia.

A forma como se consegue este tipo de traduções é simples. Primeiro traduz-se Qi como energia (ainda estou para encontrar um sinólogo de respeito que use esta tradução) e depois Yin como negativo. Logo ficamos com “energia negativa”, ou seja, Yin Qi. Esta pequena lógica matemática associada a uma profunda ignorância do pensamento e cultura chineses fazem com que estas traduções inundem o Google.

Traduzir-se Yin como negativo e Yang como positivo está correcto. São opostos que se complementam. Mas devemos ter sempre muito cuidado com a tradução que damos a estes termos, em MTC, pelo simples facto de que eles não significam somente negativo e positivo. Tem uma série de traduções possíveis que se adaptam a contextos muito diferentes.

O que algumas pessoas parecem esquecer (ou se calhar nunca aprenderam!) é que estes termos tem de se compreender no contexto em que são usados. É assim que funciona o pensamento chinês. Por exemplo, se eu disser que uma associação profissional é pouco Yang estarei a referir a falta de dinamismo da mesma. Se eu disser que uma máquina tem falta de Yang, provavelmente, estou a dizer que ela não funciona pelo simples facto de que Yang também está relacionado com a sua função. Mais uma vez está implicada uma análise ao dinamismo, desta feita, numa máquina. Quando se refere que determinada pessoa tem personalidade Yin quero dizer que ela é mais introvertida, calma.

Vamos pensar em termos de relações internacionais. Muitas pessoas criticam, e correctamente, que as grandes empresas procurem países pobres para terem acesso a mão de obra barata e assim aumentarem o seu lucro. O egoísmo, a ganância, a falta de respeito pela dignidade humana faz com que estas empresas procurem explorar os desfavorecidos. Neste caso poderíamos considerar estas características negativas como Yin Qi. No entanto, ao explorarem estes pobres estão a torná-los ricos. Quando muitas empresas se movem para o mesmo sítio, há procura de lucro, acabam, por ter de aumentar os salários para incentivar os trabalhadores a abandonarem o seu emprego mal pago. As empresas que já empregam essas pessoas vêem-se obrigadas a aumentar os salários de forma a impedir que a sua massa de trabalho se desloque para a concorrência.

Ou seja, os pobres enriquecem (demora tempo, evidentemente!). Neste caso pode-se dizer que estas características positivas são Yang Qi. Vemos o ciclo do Yin/Yang aplicar-se às dinâmicas empresariais. O Yin Qi atinge o seu auge (a pobreza e consequente exploração de um povo), começa a definhar e transforma-se no Yang Qi (a riqueza e respeito pelos direitos de trabalho desse mesmo povo!). A Coreia do Sul é um exemplo do que estou a falar.

Emprego (palavra bem escolhida!) este exemplo na medida em que procuro dar a compreender o real significado do Yin e Yang. São conceitos abstratos que procuram explicar o meio envolvente e não se prestam a traduções de vão de escada, sem sentido definido devido à incapacidade de os contextualizar.

Outro exemplo que usei num texto passado referia a forma como os chineses antigos chegaram a esta teoria: através da observação dos ciclos da natureza e do dia e da noite. Dia, luz, calor e Sol são tudo características Yang. Noite, frio, escuro e lua são tudo características Yin. Se eu disser que “está um dia muito Yin” provavelmente quero dizer que está nublado (pouca luz), frio (yin) ou chuvoso (água é yin e fogo é yang).

Outras características yang seriam a força, o dinamismo, a função, o homem. Mulher, fraqueza e sedentarismo seriam características Yin. Quando digo que os nossos antepassados tinham um estilo de vida mais Yang que nós (actualmente vivos!) quero dizer que temos uma vida mais sedentária.

Mas vamos supor que eu refiro, unicamente, que um homem X é Yin Qi. Neste caso eu não consigo dizer se isto significa que ele é calmo, introvertido, fraco, efeminado, sedentário, submisso, etc… Não consigo diferenciar estas características porque nunca soube definir o contexto. Se eu disser que homem X tem características psicológicas Yin Qi, então já estou a especificar a contexto. Agora tem lógica dizer que é introvertido e calmo, por exemplo. Se disser que tem características físicas Yin Qi posso dizer que é fraco. Agora façamos a tradução para “energias negativas”. Homem com características psicológicas de “energias negativas”. Tem lógica o que o leitor acabou de ler?

Se alguém (provavelmente chinês) afirmar que uma mulher é sexualmente Yang Qi pode querer dizer que aquela mulher tem uma vida sexualidade activa ou que é uma mulher “quente”. Se afirmar que tem um comportamento sexual Yang Qi pode querer dizer que tem um comportamento sexual dominador. Mas afirmar que uma mulher tem sexualidade Yang Qi não significa que a aquela mulher “tem sexualidade homem”. Ora, mas homem não é uma característica Yang Qi? Mais, uma vez, pergunto ao leitor se tem lógica o que acabou de ler? A lógica perde-se quando não se contextualiza os conceitos abstractos e funcionais chineses.

Como puderam observar, Yang Qi e Yin Qi possuem diversas traduções possíveis. O que interessa é o contexto em que se empregam. Quando falamos de Medicina Chinesa (MTC) falamos de um contexto clínico. Se eu digo a um paciente que tem vazio de yin não quero dizer com isto que tem um vazio de “energia negativa”.

Em MTC, vazio de yin qi, é uma forma de classificar sintomas. Significaria que o doente apresentava suores nocturnos, sensação de calor no corpo, febre, urina escassa e escura, boca e garganta seca, etc… Como o Yin Qi está associado ao frio e aos líquidos orgânicos (água yin versus fogo yang), os sintomas de vazio de yin (frio e líquidos orgânicos) expressam-se sobre a forma de sintomas de calor e secura. A diminuição de líquidos orgânicos leva à secura e a diminuição do frio no corpo leva a um aumento do calor.

Não tem lógica falar em “energia negativa” pelo simples facto que os líquidos orgânicos não só não são “energia” como não são “negativos”. O que é negativo é a diminuição dos líquidos orgânicos. Por outras palavras, o que é negativo é a diminuição de Yin Qi…. Da energia negativa, portanto… ok, agora fiquei confuso. O mesmo se passa com o frio. O corpo humano tem uma temperatura média ao qual está habituado. Um aumento da temperatura (vazio de yin) ou uma diminuição da temperatura (vazio de yang) manifesta-se por sinais e sintomas clínicos. Mas daí a traduzir como “energias negativas ou positivas”, ou outra coisa qualquer, vai uma grande distância. A tradução não encontra contexto em MTC, e por isso, é errada. Evidentemente que para se saber isto é necessário saber Medicina Chinesa, coisa que a maioria das pessoas não se dá ao trabalho de fazer.

Mas já que alguns iluminados, em estado zen, ocidentais, gostam de traduzir Yin Qi como “energia negativa”, que é errada pela sua descontextualização, porque não sugerir traduções igualmente ridículas? Por exemplo, vazio de yin poder-se-ia traduzir como: “vazio da mulher negativa”, “vazio da água da lua”, “vazio do gelo da mulher”, “vazio da lua de água”, “vazio da noite negativa”, “vazio do frio parado”, etc… O caractér chinês Yin significa tantas coisas que eu poderia ficar aqui a noite toda a fazer traduções parvas.

Seria interessante olhar para um paciente do sexo masculino com zumbidos por vazio de yin e dizer-lhe, com um ar grave: o senhor sofre de zumbidos por “vazio de noite sedentária” ou “vazio do sedentário parado” ou então olhar para uma paciente (novamente com um ar sério e preocupado, para dar credibilidade à coisa!) e dizer: ” a senhora sofre de xerostomia por vazio da mulher negativa”. Caso a paciente não fosse uma feminista convicta eu ainda me poderia safar somente com uma ligeira admoestação.

Estas traduções não estão erradas quando analiso somente as diferentes traduções possíveis do termo Yin Qi. Elas estão erradas porque não tem significado no contexto médico chinês. E não compreender a importância do contexto é idêntico a fazer traduções anedóticas dos termos chineses. O segredo das traduções chinesas está no contexto em que se empregam os seus caracteres. 

ARTIGOS RELACIONADOS
Interacção entre medicamentos e plantas medicinais
Em 2004 a OMS (Organização Mundial de Saúde) aconselhou o ensino dos efeitos medicinais de imensas plantas de forma a que pudessem ser usadas de forma segura e consciente. O ...
CONTINUE A LER
O discurso esotérico da medicina chinesa: quando o pensamento religioso se sobrepõe a uma análise crítica I
Dentro da comunidade de medicina chinesa, no Ocidente, é costume definir-se o Qi "como uma energia" que circula por entre determinados canais conhecidos como meridianos. Cada meridiano é constituído por ...
CONTINUE A LER
sentir o qi: condionamento psicológico
Sentir o qi Por várias vezes me expressei, em textos do blogue, contra a má tradução de determinados termos em medicina chinesa assim como relativamente a outras práticas, como sentir o ...
CONTINUE A LER
Temos por hábito catalogar os medicamentos ocidentais como químicos. São químicos e são maus para a saúde. Tudo o que é químico é mau para a saúde. No entanto as ...
CONTINUE A LER
Acupunctura e Ciência – Parte III
Topografia dos Meridianos… Topografia do SNPA minha ideia é esta. Os meridianos são exactamente aquela teoria que mais ajudava os chineses a explicar os resultados que observavam. Talvez a única ...
CONTINUE A LER
O discurso esotérico da medicina chinesa: quando o pensamento religioso se sobrepõe a uma análise crítica II
Surge agora uma pergunta. O que é o Qi? Qual a importância deste conceito na medicina chinesa, em termos de prática clínica?Perguntar o que é o Qi é uma pergunta ...
CONTINUE A LER
Acupuntura Esotérica e astrologia levada a sério
Encontro com a acupuntura esotérica O Facebook é rico nos mais variados grupos e crenças. Na maior parte das vezes o facebook serve essencialmente para perder tempo. Algumas pessoas usam-no como ...
CONTINUE A LER
O artigo continua com a apresentação do autor deste método e com o tipo de investigação que ele vem fazendo:"As pesquisas do Dr. Evaldo em acupuntura é no que se ...
CONTINUE A LER
Antes de entrar em MTC estudei enfermagem sem nunca concluir o curso. Depois licenciei-me em MTC e depois ainda decidi tirar uma licenciatura em Medicina Nuclear. Chamo a atenção para o ...
CONTINUE A LER
Acupunctura e Ciência – Parte II
Existe uma ideia de que a acupunctura em MTC só é abordada à luz dos meridianos sem levar em conta a influência do Sistema Nervoso. Essa ideia é errada. Antes ...
CONTINUE A LER
Interacção entre medicamentos e plantas medicinais
O discurso esotérico da medicina chinesa: quando o
Sentir o Qi: condicionalismo psicológico e cepticismo informado
Medicamentos e plantas medicinais: uma perspetiva química
Acupunctura e Ciência – Parte III
O discurso esotérico da medicina chinesa: quando o
Acupuntura Esotérica e astrologia levada a sério
Acupuntura vegetal, esoterismo e disparates – parte II
Apologia da loucura
Acupunctura e Ciência – Parte II

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *