experiência sociológica

Experiência sociológica entre acupuntores e osteopatas

Nuno Lemos SOCIEDADE, TEXTOS LIVRES 0 Comments

Como acupuntor e osteopata tenho a liberdade para me mover entre estas duas comunidades que apesar de serem englobadas dentro das TNC são muito distintas umas das outras. Vivem em realidades diferentes, tem uma consciência coletiva diferente e tem formas distintas de analisar a sua prática. Este artigo é um pouco comprido e é uma pequena experiência sociológica que faço para podermos comparar estas duas comunidades das TNC: acupuntores e osteopatas.

Como todos os estudos pode ter os seus bias e obviamente poderá gerar todo o tipo de celeuma. Escrevo com o objetivo de servir de reflexão sobre a nossa prática.

Desenvolvimento desta experiência sociológica

Para fazer esta comparação entre acupuntores e ostepatas decidi usar dois grupos de facebook, um de acupuntura e um sobre osteopatia. A razão para usar estes grupos foi baseada em atividade diária e número de membros.

A atividade diária indica que é um grupo ativo e o número de membros indica que essa atividade está ligada aos interesses da classe sendo também uma boa amostra representativa. Outro ponto importante é que são grupos portugueses e como tal dão uma indicação mais correta do pensamento vigente nessas duas comunidades portuguesas (alguns grupos de acupuntura são brasileiros).

O grupo de facebook de acupuntura escolhido foi o de Saúde e TNC com mais de 1500 membros. O grupo de osteopatia escolhido foi o de Medicina Osteopática com mais de 1300 membros.

Foi usada uma amostra de 25 posts mais recentes no grupo de acupuntura e 30 posts mais recentes no grupo de osteopatia. Esta amostra foi recolhida no dia 27 de Setembro de 2016.

No grupo de acupuntura 44% dos posts eram sobre publicidade de cursos, 16% sobre divulgação de clínicas, 16% sobre atualização de imagens e de definições do grupo, 8% sobre regulamentação, 4% sobre a divulgação de uma revista de investigação científica em acupuntura, 4%posts que por alguma razão deixaram de poder ser partilhados e 4% sobre divulgação de congressos.

No grupo de osteopatia observou-se que 26.7% dos posts eram sobre regulamentação, 20% eram sobre estudos científicos, 13.3% eram posts sobre o reconhecimento nacional e internacional da osteopatia, 6.7% eram sobre divulgação de sites de investigação em osteopatia, 6.7% eram sobre divulgação de conferências internacionais, 6.7% eram pedidos de colegas e ou empresas. Finalmente com 3.3% existiam posts relacionados com: divulgação e discussão de estudos científicos, cursos de osteopatia, norma europeia sobre cuidados em osteopatia, desafios lúdicos sobre o corpo humano, pedido de organização de encontro sobre osteopatia, posts a questionar a prática da osteopatia.

Comparar grupos nesta experiência sociológica

As comparações serão limitadas a alguns pontos relevantes e serão acompanhados de alguma discussão acerca da existência de bias.

Existe no grupo de osteopatia uma maior publicação de posts sobre regulamentação. No entanto isto não é indicativo de que os acupuntores não se preocupem com a regulamentação. A acupuntura tem muitos mais grupos de facebook que a osteopatia e a maioria dos artigos sobre regulamentação encontram-se noutros grupos (como a UMN que engloba várias TNC ou o grupo de acupuntura sobre regulamentação).

Existe uma maior proliferação e marketing de formações em acupuntura do que em osteopatia. A maioria da publicidade estava associada a uma empresa mas é comum existir marketing formacional nos diversos grupos de acupuntura.

Os grupos de acupuntores são mais pensados em marketing do que em discussões com forte conteúdo científico enquanto na osteopatia o contrário é verdade: menos marketing e maior discussão com conteúdo científico.

A partilha e discussão de estudos científicos (mesmo polémicos) é comum no grupo de osteopatia mas é raro ou praticamente inexistente no grupo de acupuntura. As poucas partilhas, no grupo de acupuntura, que se assemelhassem a um estudo tinham como objetivo publicitar uma formação.

Existe uma maior variedade de assuntos no grupo de osteopatia. Uma vez que a amostra foi limitada no tempo e espaço pode ser que esta variedade seja um bias. Mas também pode ser indicativa de uma tendência real existente nestas áreas.

Dos osteopatas parece existir uma necessidade de questionar a sua prática e evoluir a partir daí enquanto dos acupuntores esse questionamento não é colocado.

Caso de estudo entre acupuntores e osteopatas

Como respondem as duas áreas a posts com opiniões discordantes feitos pelos próprios profissionais? Ou seja a opiniões discordantes relativamente ao conhecimento aceite pela maioria, independentemente de estar certo ou errado?

Por exemplo no grupo de osteopatia foram publicados 3 posts: um era sobre uma investigação que colocava em causa uma das bases de biomecânica[1], outro era sobre criticas aos cursos e formações[2] e outro um desabafo contra a forma de trabalhar de muitos osteopatas[3].

Este tipo de posts não se encontram muito frequentemente no mundo da acupuntura (eu sei porque a maioria das vezes que surge um deles sou eu que o escrevo) e a resposta aos mesmos nunca é tão cordial e académica como na osteopatia.

Neste caso de estudo irei comparar dois posts diferentes: um em que um osteopata coloca em causa a prática da osteopatia (no grupo de medicina osteopática) e outro em que um acupuntor coloca em causa crenças esotéricas da acupuntura (no grupo UMN). Depois publicam-se o tipo de respostas, representativas da opinião da maioria, que cada um recebeu no grupo da osteopatia e no grupo da acupuntura

Post sobre acupuntura no grupo UMN Post sobre osteopatia no grupo medicina osteopática
 …Uma coisa é brincar com energias imaginárias ou tradicionalismos muitos deles completamente obsoletos e pouco compreendidos, outra coisa é ter raciocínio clínico fundamento em anátomo-fisiologia humana. O que escreveram no Portal da Universidade de Lisboa está correto e é uma pena que isto passe ao lado da maioria dos acupuntores. O problema da acupuntura sempre foi a separação entre um mundo mágico que trata “síndromes energéticos” e um mundo racional que trata tendinites, bursites e outro tipo de patologias.
A integração e técnicas multidisciplinares e novas formas de pensar a acupuntura baseado em princípios científicos, assim como a compreensão mais correta dos efeitos neuro-fisiológicos da acupuntura faz com que a abordagem da acupuntura contemporânea seja superior…
…Desabafo de um “Osteopata chateado”:

Porque é que a Osteopatia continua amplamente associada a um conjunto de manipulações articulares ignorando o avanço da ciência que tem derrubado os antigos dogmas em que assentavam a anatomia, neurofisiologia, biomecânica, etc?…

 Resposta de acupuntores  Resposta de osteopatas
 Lamentável!  … Bom ponto, caro … Não me surpreende, especialmente vindo de ti…
 … Não sei se foi o Qi do estômago em contra corrente… Mas eu bolsei… Ou se calhar vomitei… Já não sei bem…  … Penso que os osteopatas que apenas vêm manipulações à frente é porque têm uma formação precária ou então apenas gostam do “show off”!!!…
 … O que eu acho lamentável é que, em vez de acrescentar carácter científico ao conhecimento milenar, se faça uma tentativa de aniquilá-lo! Discordo do colega Nuno Lemos quando diz que se brinca às “energias imaginárias” e que ridicularize a ideia de sindromes energéticos… Tenho pena que talvez nunca tenha tido oportunidade de tentar entender a Medicina Tradicional Chinesa… … A osteopatia precisa de ser profissionalizada. Nos anos 90 trabalhei em Portugal com um ortopedista do desporto bastante conhecido que me dizia que o osteopata não era mais do que um endireita com conhecimento cientifico!! Se continuarmos na via das manipulações e não na profissão em si, o argumento continua a fazer sentido!…
 … Santa ignorância. Quando alguém como o Nuno Lemos fala do que não sabe, não tendo pelo que aqui refere qualquer experiência na área seria melhor nada dizer….  … A resposta é simples Amigo. Porque saindo da manipulação tens que obviamente estudar e isso dá trabalho…
 … mas o simples facto de ler numa sua observação que a Medicina Chinesa nunca falou em energias faz com que eu não vá perder tempo a ler sequer alguma coisa que poste! Mostra a ignorância completa de quem não está habilitado a entrar neste tema!…  … a osteopatia nao é uma panaceia para tudo, e o problema é qd queremos tocar em todasas areas e existem areas que nao sao nossas…
 … E lamentáveis as declarações em resposta daquela pessoa que ainda por cima tem lugar no conselho consultivo. Verdadeiramente assustador e percebe-se melhor do que nunca a razão de isto estar uma vergonha ainda…  … Na minha modesta opinião, as técnicas de HVLA (manipulações) devem ser utilizadas com muita responsabilidade. Assistimos a uma banalização de técnicas que requerem muita maturidade (não apenas de índole técnica) por parte de quem a pratica…

As reações contra o conhecimento instituído, no mundo da acupuntura, são mais agressivas, ofensivas e com um conteúdo muito menos construtivo do que na osteopatia.
Na Osteopatia nota-se preocupação em saber definir os limites de aplicação das técnicas (outra falha gigante na acupuntura) e da formação. Na acupuntura gera-se uma defesa religiosa de conceitos que não pertencem nem à medicina Chinesa nem tem qualquer sumo científico.
As reações aos diferentes posts, por parte o resto da comunidade contribui para o fortalecimento desta conclusão. O post que defendia uma abordagem científica da acupuntura teve 4 likes. O comentário de resposta mais agressivo que envolvia vómitos teve 6 likes. Ao todo mais de 40 likes mostram um apoio incondicional a ideias que envolvem “energias” esotéricas e muito pouco anatomia. Qualquer comentário a favor de um ponto de vista científico é visto como um ataque à medicina chinesa, qualquer proposta de se trocarem tratamentos tradicionais por tratamentos mais modernos é tratado como uma heresia. Como um acupuntor referiu acerca da minha opinião sobre uma acupuntura mais científica e menso esotérica e tradicionalista “É uma vergonha pela falta de respeito pela Acupuntura, e pelas suas origens e lógicas, e mais não digo”. No grupo da Medicina Osteopática o “desabafo” do osteopata foi recebido com quase 50 likes.

Conclusão sobre esta experiência sociológica

A origem destas diferentes formas de discutir (ou não) cientificamente, de ter a capacidade de auto-crítica do próprio conhecimento e prática está na formação científica. A base da osteopatia está na biomecânica. Mesmo as piores escolas tem de dar formação científica aos seus osteopatas. A base da acupuntura, no Ocidente, está em energias imaginárias e manipulação de conceitos chineses. Mesmo as melhores escolas estão inundadas deste tipo de crenças.
No final umas escolas formam profissionais cuja formação científica os leva a ser auto-criticos com o seu trabalho e dependenrem de uma análise científica e objetiva do seu trabalho e dos seus conhecimentos base e outras escolas formam profissionais cujas crenças religiosas só podem ser defendidas com ofensas e agressividade.

Notas de fim de texto

[1] https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153823827075308&set=pcb.1270778742961952&type=3&theater

[2] https://www.facebook.com/groups/medicinaosteopatica/permalink/1250185728354587/

[3] https://www.facebook.com/groups/medicinaosteopatica/permalink/1241551782551315/

Deixar uma resposta