Disfunção eréctil, “diz que faz bem” e fitoterapia chinesa – parte I

Nuno Lemos NOTICIAS E EVENTOS Leave a Comment

Na edição do Diário de Noticias de 16 de Agosto de 2009 foi publicada uma notícia intitulada “A ajuda dos remédios naturais na luta contra a impotência sexual masculina” onde são apresentados alguns produtos naturais como a Maca, extraída de uma planta dos Andes, no Peru, o Tribulus e o famoso Pau de Cabinda. Entre estas drogas tradicionais encontrava-se uma de grande prestígio na Medicina Chinesa (MTC): o ginseng.

Sobre o ginseng foi escrito que “apesar de não existir comprovação científica, acredita-se que o ginseng melhora o desempenho sexual, actuando como afrodisíaco na firmeza das erecções. É uma planta utilizada na medicina chinesa contra a fadiga e para aumentar a longevidade e qualidade de vida. Um ingrediente chave do ginseng é o ginsenoside, que aumenta o fluxo sanguíneo no cérebro e no pénis.”[i]

Sendo o ginseng uma droga da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) não sei porque é que são os médicos a falar, até porque o pouco que disserem ser-lhes-á passado pela fontes da Medicina Chinesa. Portanto, serão intermediários. E como qualquer intermediário, não será capaz de explicar o problema central: pensamento clínico cultural distinto do ocidental. O problema adensa-se porque entre o dizer que se acredita que faz bem e a ser uma fraude vai uma distância curtinha, curtinha…. Se fizer realmente bem é uma intervenção médica “mainstream” se não fizer nada a Medicina Chinesa é uma fraude. E se ninguém souber do que se está a falar? É difícil encarar esta hipótese num país onde os médicos são pessoas que atingiram a iluminação. Comecemos, então, a divagar:

Tōng Bìng Yì Zhì Yì Bìng Tōng Zhì[ii]. Esta frase pode parecer chinês ao leitor. Não se preocupe. É mesmo. Traduzido significa: “mesma doença, tratamentos diferentes. Doenças diferentes, mesmo tratamento”. Tem lógica para o leitor tratar-se da mesma forma um caso de prostatite e outro de dismenorreia (dor menstrual)? Como já escrevi, em MTC isto tem lógica, pelo simples facto que define a forma de pensar clínica em MTC, coisa que ninguém se dá ao trabalho de tentar compreender.

A MTC não pensa unicamente em doenças mas também em padrões clínicos. Se um paciente tiver prostatite por estase de sangue e uma paciente do sexo feminino tiver dor menstrual por estase de sangue, muito do seu tratamento será semelhante. Se pensarmos somente em sintomas como doenças então o ginseng é realmente maravilhoso. Tosse fraca, sudação excessiva desencadeada por esforço físico, astenia, insónia, agitação psíquica, sede, sudação fria e pulso muito fraco, anorexia, fezes moles ou diarreia e até prolapso anal são tudo sintomas tratáveis com ginseng[iii]. Estes sintomas até são mais importantes que a impotência; na realidade esta nem vem mencionada nos principais livros de MTC. Isto naõ significa que o ginseng não possa ser usado no tratamento da disfunção eréctil. Significa unicamente que as coisas não são assim tão simples

Sobre o ginseng Li Fei escreveu:

“Radix Ginseng tonifica intensamente a fonte (Yuan) do Qi, sendo usada para tratar colapso do Qi. É o mais forte dos tónicos do Qi, sendo muito importante para tratar os choques. Também produz o Jin Ye, acalma a mente e melhora a inteligência. Ela é muito indicada para a sede devido ao consumo de Jin Ye, síndromes Emagrecimento-Sede, palpitação, memória fraca e insónia. Através da tonificação do Qi ela controla a o Xue e é indicada para tratar padrões hemorrágicos.”[iv]

Lembra-se de se falar em padrões clínicos? O ginseng como tónico de Qi é usado em padrões de vazio de Qi e colapso de Qi. No entanto existem alguns problemas com isto: é que se uma droga é indicada para um determinado tipo de padrões clínicos, então, é contra-indicada para outros. Vazio de yin com produção de calor, plenitude calor ou Súbida de Yang do Fígado são padrões clínicos onde o Ginseng é contra-indicado. É particularmente contra-indicado em pacientes hipertensos por Súbida de Yang do Fígado. Agora um pequeno passo de magia.

Um dos padrões, não o mais comum, associado à disfunção eréctil é a Humidade-Calor. O ginseng é contra-indicado nestes casos o que aos olhos de um médico ocidental, o torna contra-indicado em casos de impotência. Então, mas afinal, ele não podia ser usado no tratamento da disfunção eréctil? A resposta é simples: depende do padrão clínico.

O mais interessante é que hipertensão por Súbida de Yang pode originar disfunção eréctil sendo o ginseng contra-indicado neste caso. No entanto, uma vez que “é muito indicada para a sede devido ao consumo de Jin Ye, síndromes Emagrecimento-Sede”[v] o ginseng pode tratar pacientes diabéticos – é o que aquela linguagem esquisita quer dizer – e ao aliviar os sintomas da diabetes pode ajudar pacientes diabéticos com disfunção eréctil. Pergunta que ninguém faz: neste caso o ginseng trata a disfunção eréctil tratando a causa – diabetes – ou só trata alguns sintomas de diabetes sem tratar a disfunção eréctil?

Anteriormente disse que o ginseng era contra-indicado em alguns padrões clínicos associados à impotência. Por exemplo, a sua natureza morna torna esta droga contra-indicada em padrões de calor. Sendo contra-indicada, pode ser usada? Pode parecer irresponsável usar uma droga para tratar um problema para o qual ela se encontra contra-indicada, mas na realidade isto pode fazer-se.

O leitor pode achar estranho na medida em que é um contrasenso. No entanto, só é um contrasenso quando pensamos em usar a dorga isoladamente e não numa fórmula. Este é o segundo grave erro da entrevista em questão. Não se deu ao trabalho de analisar as fórmulas e apresentou somente uma droga isolada. Na matéria médica chinesa (aka fitoterapia) o segredo está muitas vezes em combinar drogas de acordo com as suas propriedades. Assim o ginseng pode ser usado em padrões de calor quando este provoca astenia – sintoma de vazio de qi – desde que combinado com as drogas correctas para eliminar calor. É uma questão de relação de drogas e não capacidades individuais.

Permitam-me uma breve conclusão antes de continuara a simplificar – ou complicar… – ainda mais a questão: o ginseng pode ser usado no tratamento da impotência como pode ser contra-indicado no tratamento da mesma e pode tratar sintomas decorrentes de doenças que provoquem a disfunção eréctil sem certezas de que tratará a disfunção eréctil sendo o que é realmente relevante a sua capacidade individual aliada a uma intervenção mais complexa com a criação de fórmulas específicas.

NOTAS BIBLIOGRÁFICAS


[i] Cristão, Catarina. A ajuda dos remédios naturais na luta contra a impotência sexual masculina. Diário de Notícias. Ano 145º. Nº 51 267. 16 de Agosto de 2009

[ii] Deng, T. Practical Diagnosis in Traditional Chinese Medicine. Churchill Livingstone. 1999. Edinburgo.

[iii] Introduzir livro

[iv] Li F.; Chen Y. Guia Clínico de Ervas e Fórmulas na Medicina Chinesa. Roca. 1ª edição. 1996. São Paulo.

[v] Li F.; Chen Y. Guia Clínico de Ervas e Fórmulas na Medicina Chinesa. Roca. 1ª edição. 1996. São Paulo.

Deixar uma resposta