DIAGNÓSTICO III – Quando Os Padrões Clínicos Gerais Se Estudam Com Os Padrões De Órgão

Nuno Lemos MTC - DIAGNÓSTICO MEDICINA CHINESA 0 Comments

Numa primeira aproximação, associar sintomas a órgãos é bastante fácil. Quando se refere palpitações toda a gente é capaz de associar o sintoma ao Coração. Quando se menciona dispneia pensa-se no Pulmão. Quando alguém se queixa de vómitos de certeza que algo se passa com o Estômago. Nem sempre é assim tão simples. No entanto para as próximas linhas também não vamos precisar de complicar muito mais.

Uma vez compreendidos alguns padrões clínicos podemos pensar em associá-los a sintomas de órgão. Vamos supor que temos 2 pacientes: paciente YinTang e o paciente TaiYang.

O paciente Yintang apresenta gastralgias (dor de estômago), febre, erosão da mucosa bucal, obstipação, face vermelha, língua vermelha com capa amarela e pulso cheio e rápido. Neste paciente é fácil diagnosticar um caso de Plenitude Calor (febre, erosão da mucosa bucal, pulso cheiro e rápido, etc…) do Estômago (gastralgia).

Por seu lado o paciente TaiYang refere palpitações, dispneia, astenia generalizada, face pálida, língua pálida e pulso fino e fraco. Neste caso temos sintomas de Vazio de Qi (astenia física, pulso fino e fraco, língua e face pálidas), de Pulmão (dispneia) e Coração (palpitações). Podemos então pressupor a existência de um padrão de Vazio de Qi do Pulmão e Coração.

Como os exemplos nunca são demais podemos fazer uma nova abordagem. Numa primeira fase analisaremos casos clínicos em que se alteram os sintomas de órgãos mas se mantêm os quadros gerais e numa segunda fase mantêm-se os sintomas de órgão mas alteram-se os sintomas que denunciam os padrões gerais.

EXEMPLO 1

O paciente A apresenta os seguintes sintomas: tosse, astenia, suor espontâneo, expectoração clara (transparente), voz fraca, pulso fino e língua pálida.

O paciente B apresenta os seguintes sintomas: palpitações, astenia (esgotamento por esforço), suor espontâneo, pulso fino, língua pálida.

O paciente C apresenta os seguintes sintomas: fezes moles, dilatação abdominal, astenia que agrava com o mínimo de esforço, alterações de apetite, suor espontâneo, face pálida, pulso fino e língua pálida.

Nos 3 casos apresentados observamos alguns sintomas em comum como astenia, suor espontâneo, pulso fino e língua pálida que são sintomas de Vazio de Qi. Estes sintomas descrevem-nos o padrão geral. No entanto, existem variações nos sintomas de órgão: o primeiro paciente refere tosse, o segundo refere palpitações e o terceiro refere fezes moles associadas a outros sintomas como alterações de apetite e dilatação abdominal. Apesar do padrão clínico geral ser o mesmo os órgãos afectados são diferentes. O paciente A sofre de Vazio de Qi do Pulmão, o paciente B sofre de Vazio de Qi do Coração e o paciente C sofre de Vazio de Qi do Baço/Pâncreas.

EXEMPLO 2

O paciente A apresenta os seguintes sintomas: palpitações, sinais psíquicos, lentidão, frio generalizado, preferência pelo calor, palpitações agravam em ambientes frios, edemas, sudação profusa, pulso fino e lento, língua pálida e inchada.

O paciente B apresenta os seguintes sintomas: palpitações, agitação psíquica e física, insónia, boca e garganta secas, suores nocturnos, febre vespertina, pulso fino e rápido, língua vermelha sem capa.

O paciente C apresenta os seguintes sintomas: palpitações, febre, aversão ao calor e preferência pelo frio, erosão da mucosa bucal, sede com vontade de beber líquidos frios, úlceras na língua, pulso cheio e rápido, língua vermelha com capa amarela.

Neste segundo exemplo observamos o caso oposto. Os sintomas de órgão são idênticos e os sintomas dos padrões clínicos gerais são diferentes. Os 3 pacientes referem sempre palpitações o que denuncia um problema ao nível do Coração. Os restantes sintomas variam mas numa fase inicial pode distinguir-se dois tipos de quadros: um por frio e dois por calor. O paciente A refere lentidão, frio generalizado, preferência por bebidas e alimentos quentes, sudação profusa, pulso fino e lento e língua pálida e inchada. Estes sintomas são típicos de um Vazio de Yang (como pode reparar este quadro é mais severo que o apresentado no primeiro exemplo). Os pacientes B e C apresentam sintomas de calor mas com algumas diferenças: o paciente B queixa-se de suores nocturnos, febre vespertina, boca e garganta secas enquanto que o paciente C apresenta febre, erosão da mucosa bucal, úlceras na língua e aversão ao calor. Como deve ter reparado estes dois quadros diferenciam-se pela intensidade dos sintomas tal como foi referido nas diferenças dos padrões de Vazio de Yin e Plenitude Calor. Outros sinais como pulso fino (deficiência) e rápido (calor) em comparação com pulso cheio (plenitude) e rápido (calor) e língua vermelha (calor) sem capa (vazio de Yin) ou com capa amarela (plenitude) asseguram as diferenças diagnosticadas nos dois últimos pacientes. O paciente A sofre de Um Vazio de Yang do Coração, o paciente B sofre de um Vazio de Yin do Coração e o paciente C sofre de uma Plenitude Calor do Coração.

Na realidade, ainda existe uma terceira etapa para compreendermos esta ligação síndromes gerais-síndromes de órgão. Sem ela nenhum diagnóstico pode ser justificado. Tem a ver como as características de um padrão clínico se manifesta nos sintomas de órgão.

Deixar uma resposta